Quem sou eu

Minha foto
Piracicaba, SP, Brazil
Sou casada, tenho um filho, amo viver, adoro trabalhos manuais, música, filmes, antiguidades etc.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O dia que a Rebeca fraquejou...



(imagem da net)

Bateu-me o desespero!
Esses últimos dias têm sido tensos e por uma razão que minha compreensão não permite: estou a fraquejar!
E, por defeito próprio da minha pessoa, odeio admitir fraquezas! Detesto por-me a reclamar, choramingar... digo a mim mesma que tenho que seguir em frente a qualquer custo, terminar o que comecei.
Amigas, admito: estou prestes a jogar a toalha e por um motivo tolo para muitos, mas para mim forte o suficiente para me desanimar.
É a minha colcha jeans! Pronto, falei!
Eu a queria beeeem grande, para que envolvesse com folga minha cama queen.
Sabem o tamanho que ficou o topo? 2,66 x 2,57! Enorme, dificílima de se quiltar numa máquina doméstica.
Por que não quiltei por blocos? Ou por faixas? E por que só agora levanto tantas questões????
Já lhe alfinetei a manta acrílica. Calculem o trabalho que deu! Afastei os sofás, a estendi no chão.
Antes já tinha emendado a manta acrílica, para dar o tamanho certo. Foi difícil? Nããão, foi chato.
E por quê, raios, não alfinetei o forro junto?? Por quê?????? Também não sei.
Quando meu marido chegou e me viu de joelhos, alfinetando tudo aquilo, arregalou os olhos num sábio (e talvez temeroso) silêncio.
E quando viu meu estado após o serviço, sugeriu com voz amiga: "Por que você não dobra tudo bem certinho e deixa prá outra ocasião? Termine em outra oportunidade".
O ser irritante que existe dentro de mim ainda tentou argumentar que não sou mulher de deixar costura incompleta, que assim não me sentia livre nem autorizada a começar qualquer outro projeto... Foi aí que os argumentos e o corpo começaram a fraquejar.
A quatro mãos enrolamos direitinho a colcha, dobramos e embalamos.
O pacote ainda repousa num canto do meu ateliê, como um sinal incômodo de uma falha minha e do dia que não dei conta.
Mas tenho que admitir: foi demais prá mim. Agora, hoje e por esses dias, não dá. Ela ainda aquecerá nossa cama mas não dá prá ser agora.
E lição de humildade (que faço questão sempre de aprender) é que não posso tudo. E tem horas em que é preciso apenas ver o tempo passar...

5 comentários:

Keilla Colombo disse...

Oi amiga, fica assim não essas coisas acontecem...Mais eu vou te dar um solução....

aqui em São Carlos tem uma tapeçaria que quando eles fazem esses trabalhos quiltados, eles mandam para uma cidade aqui pertinho também que cobram 38,00 o metro do trabalho, se vc quiser eu consigo o contato para vc, e eles já incluem a manta e o forro nesse valor, depois vc só te que passar um viés para finalizar....

bjinhosss

Geórgia Moriconi disse...

Oi, Rebeca, menina q susto...
pensei q tivesse acontecido algo ruim...credo.
Posso falar, eu nem me atrevi a terminar aquela q comecei...affff. ainda não tenho gabarito para isso, mas vc eu sei que consegue. bjs.

Simone Carvalho disse...

Aiiiii Rebeca!! Pensei que vc fosse nos deixar orfãs de blogueira.
Mas não fique chateada "Já começou a ganhar aquele que reconhece ter perdido"" Pe Fábio de Melo.
Te ajudou??? Se não ajudou!Siga os conselhos da Keilla!
Beijos!
Simone

Márcia Helena disse...

Rêêê, que susto mesmo! Tudo na vida é aprendizado, relaxa, siga o conselho da Keila e faça uma linda almofada redonda para ajudar a se acalmar. Beijocas e um ótimo FDS.

Renata disse...

Realmente essa sensação não é nada boa!
Mas você faz tantas coisas lindas que eu tenho certeza que dá conta disso sim!
É só dar um tempo e tentar de novo, não é?
Alem de ser inspiração pra mim ainda nos deu essa lição.
Beijinhos

Eu recomendo

Eu recomendo

costureiras de Tarsila

costureiras de Tarsila

Obrigada pela visita! Volte sempre!

Gentileza Gera Gentileza