Quem sou eu

Minha foto
Piracicaba, SP, Brazil
Sou casada, tenho um filho, amo viver, adoro trabalhos manuais, música, filmes, antiguidades etc.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Colcha de patchwork para a bebê Sara








Esta colcha para bebê foi muito prazerosa de fazer por vários aspectos.
Em primeiríssimo lugar, embora a colcha tenha sido costurada para ser ofertada, quem ganha o presente sou eu: serei tia-avó!!!
Como uma das ambições da minha vida é ser avó, ser tia-avó já me enche de orgulho. É, ao meu ver, um tipo de promoção, pois nesta altura da minha vida vejo as coisas diferente do que antes.
Poucas coisas consigo levar a sério e pequenos prazeres são saudados como grandes levantes de alegria.
Talvez seja questão de me economizar e separar o joio do trigo; o que realmente importa e quem realmente importa.
E um bebê sempre importa, sempre é uma luz quente e acolhedora que envolve a vida da família. É um presente, uma chance de todos em volta se tornarem melhores. 
É fácil? Não, não é fácil nem é um conto de fadas. Haverão dias difíceis, dias de pouca paciência e muita canseira.
A perfeição não existe e por mais que eu ame um bebê, sei que essa grande alegria traz uma grande responsabilidade. Uma deliciosa responsabilidade porque também é bom ter alguém a quem se dedicar, alguém mais para se amar.
Outra razão para esta colcha ter sido particularmente especial, é que ela é REALMENTE uma colcha de retalhos. Pouquíssimos foram os tecidos comprados só para ela. E isso é demérito? Nem de longe.
Porque eu penso assim: quando você faz uma colcha aproveitando seus retalhos, você está contando uma história. Está criando um tecido único com os retalhos mais significativos. E se trabalho com quadrados de 6 cm (como nesta colcha), nesse pequeno quadrado vai a partezinha que mais me agradou em todo aquele vasto território de algodão.
E isso me dá tanta liberdade! Não fico ali presa a determinados tons: cada pedaço  bonito e que harmonize com o resto é bem-vindo.
O resultado dessa brincadeira está aí: uma colcha, um travesseiro e um pequeno rolo aguardam ansiosos a pequena Sara, minha querida sobrinha-neta...

Obs.: O projeto foi desenvolvido por uma amish norte-americana. Por mais que eu tenha tentado encontrar seu nome para lhe dar crédito, não consegui. Mas fica minha gratidão pelo seu trabalho lindo e inspirador.

sábado, 26 de março de 2016

Colcha de retalhos para bebê / baby quilt





      A mãe deste bebê que logo  nascerá não queria que sua colcha tivesse tons de azul, como é muito comum em mães de bebês homens.
      Planejou e decorou o quarto em tons de verde, afinal o pai é palmeirense fanático.
      Dessa forma, coube a mim achar e harmonizar esses tons e fazê-los suaves e delicados para receber o pequeno.
      O modelo do quilt   é da talentosa Katie Blakesley, do ótimo www.swinbikequilt.com.
    Adoro o fato da estrela ser branca, sem qualquer traço de impressão, como se ela brilhasse sozinha no meio dos estampados! Diante disso, levei a estrela branca também para o pequeno travesseiro que criei para compor um conjunto.
      E agora, colcha e travesseiro se juntam à família para esperar o bebê que nos próximos dias nasce.





sexta-feira, 11 de março de 2016

Outra bolsa de couro fake ou ecológico




      Esta é a segunda bolsa que faço nesse estilo. Minha inspiração foi um modelo simples, de tecido.
      O que me encantou e me fez pensar na praticidade é que, ao se optar pelo uso da alça transversal, a bolsa se dobra quase ao meio.
     Dessa forma, ela fica menor e bem fechada. Além do mais, seu formato mais reduzido garante comodidade na lateral do corpo.
     Mais uma vez usei um couro fake (ou ecológico), um material tipo courino. Ele é leve, bonito e transmite, ao meu ver, a impressão de bolsa macia e já adaptada aos trejeitos da dona. Sabe aquela bolsa bem usada e já macia? É isso, é dessa sensação que estou falando. Só que esta, por mais macia, leve e gostosa de usar, é novinha em folha. Não é um ótimo negócio??
      Para dar uma bossa a mais, fiz um chaveiro combinando, que pode ser usado apenas como enfeite ou como um chaveiro charmoso e de personalidade.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Sacolas dupla-face com fecho engraçadinho




Às vezes, o que me faz optar por um projeto de costura é um detalhe pequeno, talvez mesmo bobo.
No caso dessa sacola (que pode até ser usada como uma pequena e prática bolsa) foi o jeito de fechá-la que gostei.
É simples por demais: são dois pedaços de fita costurados no meio de cada borda superior da bolsa, sendo que um leva na ponta um mosquetão e o outro uma argola. Só. Está feito o fecho.
Tá, não é um lacre, um zíper, uma fechadura à 7 chaves mas tem uma coisa tão fofa e singela que me levou a costurar a primeira sacola para ver se dava certo.
E deu tão certo que fiz mais duas...


Eu recomendo

Eu recomendo

costureiras de Tarsila

costureiras de Tarsila

Obrigada pela visita! Volte sempre!

Gentileza Gera Gentileza