Quem sou eu

Minha foto
Piracicaba, SP, Brazil
Sou casada, tenho um filho, amo viver, adoro trabalhos manuais, música, filmes, antiguidades etc.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

A filha que não tive

    




      Só tenho um filho. Lindo, moreno, alto. Tem barba e longos cabelos desalinhados.
      É mais que um filho: é a realização de um sonho que tinha desde criança.
      As brincadeiras com bonecas me pegaram de jeito: adoro crianças!
      Por algumas razões que, na época pareciam imperiosas, não tive mais mais filhos.
      Mas volta e meia imagino como seria a filha que não tive.
    Procuro em cada uma das minhas sobrinhas um traço dela e cada uma delas tem um pouco da minha garota.
     Nas ruas, procuro por ela. Na menina alta e morena, na menina de bolsa de pano, na garota de minissaia jeans.
     Busco por seus olhos nos jovens olhares que vejo. Quase posso sentir em minhas mãos seu cabelo escuro e cheiroso; quase posso tocar sua pela branquinha.
     O tempo não volta e acho que a escolha foi como tinha que ser.
     Só fico curiosa pensando em como ela seria. E busco, talvez, não quem ela teria sido mas sim quem eu fui.

12 comentários:

Jardim de Algodão Doce disse...

Tomamos sempre as decisões que consideramos certas em determinados momentos da nossa vida. Eu estou grávida pela terceira vez e é outro menino. Não terei a menina, mas estou feliz na mesma. Mas também imagino que eu me iria perder em ganchinhos, malinhas e coisas fofas se tivesse uma rapariga :)

Nani disse...

Se fosse como a minha única menina (em 4 filhos) e que tem 19, provavelmente seria muiiiiito refilona :)
Gostei do pensamento e desse 'imaginar como seria'...

Marly disse...

Oi, Rebeca,

É interessante como a gente sente falta do que não teve, né? Eu queria ter tido um menino e uma menina, mas tive duas meninas, rsrs. Mas eu não sinto falta, porque acho que os filhos também são como que - digamos - seres espirituais, postos em nossas vidas para fechar um círculo cheio de significados afetivos, mas também de ensinamentos, e coisas tais. Acho que é por isso que os filhos muitas vezes são tão diferentes dos pais, tanto física quanto emocionalmente. De qualquer modo, se você sente mesmo muita falta, pode sempre adotar uma menininha, ainda é tempo, não? rsrs.

Um beijo e bom fim de semana.

Regina Saraiva disse...

Olá Rebeca,

Gosto das suas reflexões. As vezes me encontro nelas outras não, mas sempre acho delicioso lê.
beijo

Geórgia Moriconi disse...

Oi! Rebeca. Repartimos o mesmo pensamento a respeito, mas , sei o que está pensando...Ah! vc ainda é nova. É talvez, mas ter uma criança e depois sair para trabalhar?? Não dá fiquei em casa com meu filho por quatro anos, só daí prestei concurso e voltei a dar aulas...É isso cada um tem sua história e vive da maneira que dá. beijso querida, adorei seu texto.

Friends Forever disse...

Rebeca, que lindo texto!
Talvez você tenha uma neta, e realizar seus sonhos de ter uma menina.
Beijos
Amara

Bartira disse...

Que lindo texto ! E eu sempre imagino como seria se eu tivesse um Filho .

Bartira disse...

Que lindo texto ! E eu sempre imagino como seria se eu tivesse um Filho .

Carola disse...

Seu post me deixou emocionada! Doce, triste e encantador!

Joanna Catharina disse...

Rebeca deveria ser escritora! Adoro seus posts =)

=* bjsss

Cheiro de Vanilla disse...

Que fofo, tambem nao tenho a menina que sonho, talvez, mas so se for um milagre, mas acredito nele.
Engraçado que se eu tiver ainda uma menina, seu nome já esta escolhidos a mais de uma década, sera Rebecca.
Mas ate que ela venha ou não sou muito grata a Deus pelo meu menino.
Mas sempre que vejo uma menininha de cabelo preto, e narizinho de batata, me vejo nela.
Bjs e linda semana pra vc.
Wanilza

Ela disse...

Olá! Vim espreitar o blog e gostei muito. Adorei os jacarés e este post deixou-me com um sorriso misturado com uma lágrima a formar-se no olho. Lindo! :)

Eu recomendo

Eu recomendo

costureiras de Tarsila

costureiras de Tarsila

Obrigada pela visita! Volte sempre!

Gentileza Gera Gentileza